Colheita do milho está atrasada. Álcool se firma como prioridade, nas usinas. Exportações de suco de laranja disparam

De cada quatro hectares plantados com milho, no Centro-Sul do País, apenas em um a colheita já terminou. Os números da AgRural apontam que os trabalhos estão atrasados, uma vez que, um ano atrás, o índice era de 36 por cento. E, na média das últimas safras, de 31 por cento. Além do plantio tardio, o tempo mais fresco dificulta a perda de umidade e faz com que o produtor deixe o milho no campo por mais alguns dias.

 

Ainda na região Centro-Sul, apenas 37 por cento da cana processada nos últimos dias foi transformada em açúcar. Dados da Unica apontam que, um ano atrás, o índice chegava a 50 por cento. Ou seja, as usinas passaram a dar prioridade total para a fabricação de etanol, cujo preço subiu, principalmente depois da greve dos caminhoneiros. Na segunda metade de junho, a moagem total de cana ficou em 45 milhões de toneladas.

 

E o suco de laranja brasileiro ganhou espaço lá fora. A safra 17/18 chegou ao fim com alta de 29 por cento, nas exportações. Deixaram o País pouco mais de um milhão e 150 mil toneladas. Enquanto no ciclo anterior o índice não chegou nem a 900 mil toneladas. A alta aconteceu mesmo com um pequeno aumento nos preços e foi puxada, principalmente, pelas vendas aos Estados Unidos, cujo mercado foi afetado, por exemplo, pelo furacão Irma.

AGENCIA RADIO 2

Compartilhe no Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *